Colaboração com a pesquisa da profa. Dra. Maria Amélia Almeida, docente do Programa do Programa de Pós-graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos, que pretende adaptar e validar a Escala Intensidade de Suporte (SIS), utilizada para avaliar jovens e adultos com deficiência intelectual com vistas à sua independência e inserção na sociedade. A pesquisa será realizada em todo o território nacional e o CEI contribuirá com a coleta de dados a ser realizada no estado de Minas Gerais.

Título do Projeto: Adaptação e Validação da Escala de Intensidade de Suporte – SIS para o Brasil: Uma contribuição para a avaliação funcional de jovens e adultos com deficiência intelectual

Descrição: Considerando a evolução do conceito de deficiência intelectual e da necessidade de formas mais atualizadas para avaliar comportamentos adaptativos de jovens e adultos com deficiência intelectual na realidade brasileira, propõem-se a realização deste projeto que tem como objetivo adaptar e validar a Escala de Intensidade de Suporte SIS para a realidade brasileira. Este instrumento tem como finalidade mensurar a intensidade da necessidade de suporte/apoio que uma pessoa com deficiência intelectual precisa para relacionar-se, viver e conviver de acordo com as demandas da sociedade atual. Este projeto tem a autorização da Federação Nacional das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais para realização da coleta de dados que se dará com 1200 jovens e adultos com deficiência intelectual, de diferentes regiões do país, com idade igual ou superior a 16 anos. Seus pais/familiares próximos, professores e/ou cuidadores, participarão da entrevista junto ao jovem ou adulto, para em caso destes não conseguirem fornecer as informações sobre o nível suporte necessário para desempenhar cada uma das atividades investigadas. Para desenvolvimento do projeto serão desenvolvidas as seguintes etapas: 1. Tradução do Manual do Examinador e do Protocolo de Avaliação dos níveis de Suporte; 2. Análise de conteúdo do material traduzido e adaptação para o contexto brasileiro; 3. Análise semântica do material traduzido e checagem da clareza das informações/Retrotradução da Escala SIS; 4. Teste da versão pré-final da escala; 5. Aplicação da Escala em diferentes regiões e estados do Brasil; 6. Coleta de dados Aplicação das escalas; 7. Procedimento de análise estatística dos dados. A temática a ser abordada está relacionada à avaliação do jovem e/ou adulto com deficiência intelectual, uma vez que propiciará um levantamento das necessidades de apoio necessárias para adaptação de cada individuo, auxiliando na elaboração de planos de intervenção com a finalidade de tornar esta população mais independente.